• Home
  • Notícias
  • Polícia
  • Mulher é assassinada um mês depois de denunciar marido por agressão; 3ª morte por feminicídio no Estado durante o fim de semana

Mulher é assassinada um mês depois de denunciar marido por agressão; 3ª morte por feminicídio no Estado durante o fim de semana

Campo Grande News | 12 de Março de 2019
Mulher é assassinada um mês depois de denunciar marido por agressão; 3ª morte por feminicídio no Estado durante o fim de semana

O motorista de trator João Gomes de Olinda, de 39 anos, foi preso por matar a mulher esganada em Alcinópolis – cidade a 402 quilômetros de Campo Grande. Laís Peres Rodrigues, de 26 anos, estava com medida protetiva contra o companheiro desde o mês passado, quando foi agredida por ele e denunciou o caso a polícia. 

Segundo o delegado Fernando Ferreira Dantas, titular da Delegacia de Polícia Civil da cidade, o crime aconteceu neste domingo (10) após um desentendimento entre o casal, que mesmo após a denúncia do mês passado, voltou a conviver na mesma casa.Laís e João bebiam com amigos e acabaram discutindo. As testemunhas foram embora e a briga continuou.

Durante o desentendimento o suspeito esganou a mulher e só parou quando ela estava desacordada. João fugiu, e no caminho ligou para o pai. “Falou que achava que tinha matada a vítima e foi para uma fazenda. Hoje de manhã o pai ligou para o patrão do filho e descobriu que ele não tinha ido trabalhar”, contou o delegado.

Assim que soube do possível assassinato, o patrão de João entrou em contato com a Polícia Militar. Os policiais foram até a casa em que o casal morava e encontraram o corpo de Laís na manhã desta segunda-feira (11).

Durante as investigações, as equipes descobriram que o homem estava escondido em uma fazenda localizada a 35 quilômetros de Alcinópolis. Ele foi preso horas depois em uma ação conjunta entre a Polícia Civil e Militar. Já na delegacia, confessou o crime em depoimento.

Ainda conforme o delegado, o casal tinha histórico de violência doméstica e Laís estava com medida protetiva contra João, expedida em caráter de urgência no dia 9 de fevereiro, quando foi agredida por ele e resolveu denunciar o caso a polícia. “Ainda assim ele voltou a conviver com o agressor”.

João ainda tem em sua ficha criminal uma tentativa de feminicídio, cometida em 2016 contra uma ex-companheira. Preso em flagrante, o suspeito será transferido para o presídio de Coxim, onde ficará a disposição da justiça.

 

Feminicídio

Esse é o terceiro caso de feminicídio registrado em Mato Grosso do Sul durante o fim de semana. A professora Nádia Sol Neves Rondon, 38 anos, foi morta nesta domingo (10) com 36 facadas pelo ex-namorado, Edevaldo Costa. O crime aconteceu na casa em que ela vivia em Coumbá - a 446 quilômetros de Campo Grande.

A professora chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos vários ferimentos. Horas depois, em Caarapó – a 282 km da Capital – Carla Sampaio Tanan, de 36 anos, foi atropelada e morte pelo então namorado Thiago Belastorre, 29 anos.

O crime aconteceu em frente a casa da irmã do suspeito após um desentendimento entre o casal. Testemunhas relataram a polícia que Thiago passou por cima da namorada três vezes e sentia um ciúme possessivo de Carla. Desde o começo do ano, oito mulheres foram mortas por companheiros no Estado.

Campo Grande

Categoria : Polícia

Heller
Nenhum comentário encontrado.

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios.