Isenção a agrotóxicos supera verba do meio ambiente e mais 6 setores em MS
Geral

Isenção a agrotóxicos supera verba do meio ambiente e mais 6 setores em MS

Campo Grande News
14/02/2020
38

O montante que os cofres estaduais deixaram de arrecadar com a isenção de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para a compra de agrotóxicos cobriria as despesas do governo em sete áreas.

Segundo pesquisa da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva), com base em dados do censo agropecuário 2017, Mato Grosso do Sul renunciou a R$ 391,21 milhões em ICMS sobre a compra de insumos. O Estado é um dos 23 do Brasil que isentam o imposto incidente na circulação de agroquímicos.

A desoneração vigora em território sul-mato-grossense desde maio de 2001, no governo Zeca do PT, e tem continuado firme desde então, com a última prorrogação foi assinada em abril de 2019 e vence em abril deste ano.

O valor renunciado é pelo menos quatro vezes maior que a estimativa de despesa do governo estadual com Gestão Ambiental em 2020, fixada em R$ 92,546 milhões, segundo a LOA (Lei Orçamentária Anual).

Os gastos em Ciência e Tecnologia (R$ 36,168 milhões) previstos na lei são 11 vezes menor que o total desonerado. Já o investimento em Desporto e Lazer (R$ 38,908 milhões) é dez vezes inferior.

Se usado para as despesas citadas, ainda sobraria dinheiro da isenção de ICMS para os orçamentos de Saneamento (R$ 113,282 milhões), Cultura (R$ 74,083 milhões), Habitação (R$ 19,394 milhões) e Trabalho (R$ 9,864 milhões).

Isenção a agrotóxicos supera verba do meio ambiente e mais 6 setores em MS

O estudo da Abrasco indica que estados e Distrito Federal são os que mais perdem com a desoneração fiscal dos agrotóxicos, com R$ 6,222 bilhões de ICMS renunciados em 2017.
Outros R$ 3,6 bilhões desfalcaram os cofres federais, com isenções de PIS/Pasep/Cofins, IPI e Imposto Importação.

Censo - O levantamento agropecuário de 2017 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta que 15,6 mil estabelecimentos rurais usavam agrotóxicos no Estado.

Conforme o censo, as despesas dos produtores para compra e aplicação dos agroquímicos nas lavouras somaram R$ 1,9 bilhão.

Os pesticidas, herbicidas e inseticidas são usados para evitar ou exterminar pragas e, consequentemente, aumentar a produtividade das plantações.

A política de isenção de impostos sobre a comercialização destes produtos foi implantada sob a alegação de que contribui para redução nos preços de alimentos.

Pesquisa - Conforme pesquisa divulgada este mês, técnicos da Abrasco não encontraram estudos que relacionassem benefícios sociais associados às subvenções dadas aos agrotóxicos, como número de empregos gerados no setor e redução no preço da cesta básica.

A pesquisa informa que a isenção de PIS/Cofins dos agrotóxicos contribui com apenas 8% do total desonerado da cesta, com impacto principalmente nos preços de hortaliças, legumes e verduras.

Porém, segundo o levantamento, estes alimentos “têm grande potencial para serem produzidos com técnicas mais sustentáveis”.

Pesquisadores da Abrasco descrevem ainda que apenas seis commodities, como soja e milho - produtos voltados para exportação -, foram responsáveis por 85% do consumo de agrotóxicos no Brasil em 2014.

O estudo conclui que a política brasileira de incentivo fiscal beneficia um segmento econômico já bastante competitivo e “vai na contramão das ações de regulação de problemas sanitários e ambientais que os países mais ricos adotam, que é o uso de instrumentos econômicos para restringir o uso de substâncias perigosas”, descreve a pesquisa.

A reportagem procurou a Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda) e questionou o entendimento atual sobre a concessão de isenção de ICMS a agrotóxicos, quais os benefícios da desoneração, e se a secretaria considera rever a isenção ao segmento. Não houve retorno até a publicação da matéria.

Saúde - Os danos dos agrotóxicos à saúde foram levantados pelo Laboratório de Geografia Agrária da USP (Universidade de São Paulo), no estudo “Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia”.

O trabalho mostra que, entre 2007 e 2014, foram notificados ao Ministério da Saúde 25.106 mil casos de intoxicações por agrotóxicos de uso agrícola, média de 3.125 casos por ano e de oito intoxicações diárias.

Em 2017, de acordo com ministério da Saúde e Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), 164 pessoas morreram no País após contato com agrotóxicos. Outras 157 ficaram incapacitadas para o trabalho.

Os insumos agrícolas não oferecem riscos somente ao ser humano. Outro levantamento, feito entre 2015 e 2017 pelo IPÊ (Instituto de Pesquisas Ecológicas), expõe que foram encontrados resíduos de agrotóxicos em antas de áreas agrícolas do Cerrado sul-mato-grossense.

Os bichos ainda apresentaram deformações, lesões no fígado, nos rins e doenças autoimunes.

Fiscalização - Em Mato Grosso do Sul, a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) é responsável pela fiscalização dos trabalhos relacionados aos agrotóxicos.

Notícias Relacionadas

Portal Costa Leste News

Portal de notícias de Aparecida do Taboado, Selvíria, Paranaíba e Inocência. Saiba tudo sobre o cenário político, econômico, turístico, cultural e policial da região Costa Leste de Mato Grosso do Sul.

Registration Login
Registration Login
A password will be send on your post
Registration Login
Registration
Sobre o site

Política de Privacidade

A Política de Privacidade foi criada para reafirmar o compromisso do Costa Leste News com a segurança e a privacidade dos seus usuários de seus serviços “on-line”.

O “site” do Costa Leste News foi criado e desenvolvido de forma a assegurar que a privacidade “on-line” de seus usuários seja respeitada e os dados e informações pessoais devidamente protegidos, não sendo revelados a terceiros. Em nenhuma circunstância vendemos, alugamos ou trocamos informações pessoais.

O Costa Leste News adverte que nenhum armazenamento ou transmissão de dados na Internet é totalmente seguro, porém exerce todos os esforços para resguardar as informações coletadas dos usuários.

O Costa Leste News se compromete em manter a integridade das informações que nos forem fornecidas.

O Costa Leste News se reserva o direito de alterar sua política de privacidade, no todo ou em parte, mediante comunicação aos seus usuários, através desta página.

Termos de Uso

O material disponibilizado neste site é de caráter exclusivamente informativo e a utilização deste conteúdo é de inteira responsabilidade do usuário.

O Costa Leste News poderá modificar a forma e o conteúdo, bem como suspender ou cancelar, a seu exclusivo critério, a qualquer tempo, quaisquer dos serviços, utilidades, produtos ou aplicações disponibilizadas no site.

As informações disponíveis no site poderão ser atualizadas ou modificadas periodicamente e não devem ser interpretadas como definitivas.

O Costa Leste News empregará com afinco seus melhores esforços no sentido de conservar as informações e conteúdos contidos neste site de forma precisa, atualizada e completa quanto possível.

O Costa Leste News ou seus parceiros não poderão ser responsabilizados por qualquer perda ou dano, direto ou indireto, que decorram de:

O conteúdo, fotografias, marcas, títulos, sons, vídeos, dados, gráficos, tabelas, séries históricas e serviços oferecidos por meio do site são de propriedade do Costa Leste News ou de parceiros, não sendo autorizado sua reprodução, transmissão, exploração, armazenamento ou qualquer tipo de uso. O usuário assume toda e qualquer responsabilidade, de caráter civil e/ou criminal, pela utilização indevida de todo e qualquer material do site.

Em caso de utilização do conteúdo do site com a devida autorização, deverá constar como crédito: Costa Leste News. A inobservância do crédito acarretará na imediata revogação da autorização.

O site e seus serviços estão sujeitos a eventuais problemas de interrupção, falha técnica, ou indisponibilidade de funcionamento temporário.

O Costa Leste News estará isento de qualquer responsabilidade pelos danos e prejuízos de toda natureza que possam decorrer de falta de disponibilidade ou de continuidade do funcionamento do site e dos serviços.

Comentários:

O conteúdo dos comentários publicados no site é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do usuário e/ou visitante cadastrado. O Costa Leste News não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente das opiniões e comentários efetuados por terceiros.

Os comentários publicados, porém, serão pós-moderados e o Costa Leste News poderá, a qualquer tempo e a seu critério, excluir, parcial ou integralmente, qualquer texto que infrinja as normas legais ou as regras deste termo de uso, ou ainda em decorrência de denúncias, sem que isto gere qualquer responsabilidade ao Costa Leste News ou direito ao usuário e/ou visitante cadastrado.

Os comentários não devem conter mensagens publicitárias, material pornográfico, grosseiro, racista ou ofensivo; informações sobre atividades ilegais e incitação ao crime; material calunioso; afirmações injuriosas ou difamatórias.

É proibido publicar qualquer material protegido por direitos autorias, sem a devida autorização do autor ou seu representante.

Se por mais de uma vez forem descumpridas quaisquer das regras expostas ou for verificado o exercício ilegal, o usuário e/ou visitante terá sua permissão de comentários cancelada.

A qualquer tempo e de maneira unilateral, o Costa Leste News poderá cancelar o sistema de comentários sem necessidade de aviso prévio.

Forma de acesso aos comentários:

Para se habilitar a fazer comentários no site do Costa Leste News, o usuário terá de preencher um cadastro fornecendo informações verdadeiras e exatas. Tais dados serão protegidos pelo Costa Leste News.

O cadastro dará ao usuário o direito de usar o espaço destinado a comentário.

O Costa Leste News registra o IP pelo qual o usuário acessou o sistema de comentários, para a eventualidade de precisar identificar o autor de um comentário.